Posts Tagged ‘Intercâmbio’

Hansa é destaque no Oi Toronto

Conforme fui registrando aqui no blog os 4 meses que passei em Toronto, conversei com algumas pessoas que comentaram estar se preparando para embarcar e ingressar em um programa de intercâmbio, assim como eu fiz entre agosto e dezembro do ano passado. Provavelmente o pessoal que fez contato encontrou o blog em uma busca no Google, e assim como eu conversei com diversas pessoas que já haviam passado pela mesma experiência que eu estava prestes a iniciar, enquanto me preparava para a viagem, essa galera também estava em busca de mais algumas informações, pois nessas circunstâncias, momentos antes de viajar pra um lugar totalmente desconhecido, longe de casa e onde as pessoas não entendem seu idioma nativo, qualquer informação é válida e pode fazer uma grande diferença.

Um assunto que já conversei com esse pessoal, além de ter compartilhado também com amigos, familares e conhecidos, pessoas que ficaram curiosas por saber sobre a viagem, foi a escola. Na minha segunda semana por lá publiquei um artigo falando das primeiras impressões, e com o passar dos tempos e as demais publicações que ocorreram, acabei sempre comentando alguma situação envolvendo a Hansa.

Agora no fim de fevereiro, o Oi Toronto publicou um artigo bem interessante falando sobre a Hansa (acesse clicando aqui). Algumas informações relevantes foram abordandas, como um pouco sobre a história por trás da escola, os programas de estudos, horários e essas coisas que os jornalistas geralmente escrevem nesse tipo de material. Deveras a leitura é muito válida, tanto pra mim, que já estudei na escola, quanto para o pessoal que está se preparando para em um futuro próximo passar uns tempos na maior metrópole canadense e ainda tem dúvidas sobre a escola que pretende estudar.

Vale lembrar que o Oi Toronto é basicamente um portal de notícias voltado para os brasileiros que vivem na cidade (e que não são poucos), registrando tudo o que acontece na capital da província de Ontário e nas cidades vizinhas. Obviamente o site é editado em português e sem dúvidas é acesso quase obrigatório para o povo tupiniquim que vive na cidade ou está de passagem marcada pra lá.

Aproveito pra ressaltar as duas brasileiras citadas no artigo comentado, a Brissa Freires e a Camila de Paula, gurias que conheci enquanto estava por terras canadenses e que ainda continuam vivendo like canadians. E já que estamos falando dos brasileiros, não posso esquecer do Juliano Mattiazzi, meu velho amigo e vizinho aqui do Brasil, que também continua em Toronto, firme e forte, sendo que por uma ironia do destino fomos nos encontrar tão longe de casa. Desejo muito sucesso pra essa galera! E continuem aproveitando ao máximo, pois não existe valor que compense a oportunidade que vocês tem nas mãos.

Um cara maluco perguntando coisas sem sentido

Nos últimos dias quando eu estava em Toronto, como era meu costume, estava andando até a estação de metrô mais próxima para pegar o trem em direção ao centro da cidade. Derrepente, para no outro lado da rua uma uma van de sequestradores (como classificaria o Marcos Barbosa), então, o motorista olha pra mim e grita, conforme a imagem abaixo:

Em tradução, a pergunta dele foi “Porque pessoas ricas adoram as piores ruas?” e sem saber o que responder, eu apenas soltei “Eu não sei!“. Sem prestar muita importância continuei andando e não faço a mínima ideia sobre o porque do cara perguntar aquilo. Provavelmente era alguma brincadeira, ou no pior dos casos, não era uma van de sequestradores, mas de uma casa de reclusão para malucos, até porque, dificilmente eu seria considerado uma pessoa rica.

Don´t forget, change your clocks

It´s time to change! Next Sunday, everybody in Toronto (Ontario) Canada should change backward in 1 hour your clocks. The people shoud do it after the midnight on November, 4th, actually when it´s 2 AM, you change to 1 AM becoming late your clock. Also, it´s just a suggestion because it´s not necessary you wait until 2 AM to change, you can change before you go to bed, so, when you wake up in the next morning, you will be at the right time.

Understanding the DST

This process happens every year and the technical name is DST (Daylight Saving Time). It´s not happen in all canadian´s towns but just in some provinces and respective cities. The canandians have used this time since March, 11th and usually the popular name is “spring forward”. The main meaning is spend much better the daylight and safe electric power too.

Other countries around the world use the same kind of process. Also, it´s not happen in the same time like in Canada because it´s depend of the four seasons in the year. For example, in Brazil it has changed just a couple weeks ago but opposite than Canada, in there we have changed to “Summer Time” following our four seasons order.

[Canadian Online, Huffpost Living and Time and Date]

-| Considerations in Portuguese: -> Considerações em Português: |-

O texto acima faz referência a mundança de horário que vai ocorrer no próximo fim de semana em diversas cidades e províncias do Canadá. Assim como no Brasil e demais países do mundo, o objetivo principal é aproveitar da melhor forma possível a luz do dia, consequentemente economizando energia elétrica. Enquanto no Brasil o horário recentemente foi modificado para o que chamamos de “horário de verão”, no Canadá eles passam para o “horário de inverno”, devido ao curto tempo restante até entrar na estação. Portanto, vale lembrar, hoje (03/11/12) o fuso horário é de menos (-) 2 horas em relação ao Brasil. A partir do próximo domingo (04/11/12) haverá (-) 3 horas em relação ao Brasil quando o país já terá atrasado seus relógios.

Cartooning com CJ

Algum tempo atrás eu havia comentado sobre um dos professores de gramática da Hansa e seus desenhos, pois o CJ tem o habito de ilustrar as aulas com suas produções, na intenção de auxiliar no aprendizado dos alunos e tornar a aula mais divertida. Como a cada dia ele nos surpreende mais com os seus cartoons, sendo que alguns realmente são feitos pelo amor ao hobby, segue abaixo um retrato desenhado pelo mesmo durante o intervalo entre as aulas. Contudo, esse não tem relação com a disciplina, foi feito apenas por diversão. A modelo em questão é a aluna Sara Baladés. Curtam o desenho logo abaixo da tradução para o inglês.

-| TRANSLATING TO ENGLISH |-

[Cartooning with CJ]

A few months ago, I wrote a post about a grammar teacher from Hansa and his cartoons. His name is CJ. He loves to draw and he usually makes some cartoon during the classes to help the students understand the topics about grammar. Almost everyday he draws a new cartoon and everybody often feels pleasure about it. We have in this post a cartoon that he made during the break time a few weeks ago. There isn´t a link between this job and the classes but we know that CJ really enjoy to draw, it´s a hobby. Actually he was drawing a student, her name is Sara Baladés. There is his job below:

 Enjoy it!

Passeio em Niagara Falls

Ainda no fim de agosto fiz uma trip com a escola para a famosa Niagara Falls, a cidade canadense situada na província de Ontário, que abrange parte das famosas Cataratas do Niagara, fazendo divisa com o lado americano, mais precisamente a cidade de Buffalo no Estado de Nova Iorque, que cerca o lado oposto das cataratas.

Niagara Falls obviamente é famosa pelas cataratas, assim como o parque que costeia as mesmas. Contudo, essa não é a única atração da região. A cidade é famosa por museus que conservam todo um acervo histórico relacionado ao local,  parques que ressaltam aos olhos durante o verão e casinos (especialmente o Casino Niagara).

Alguém afim de gastar ganhar uma graninha?

A Skylon Tower também é um ponto bastante requisitado na cidade. Em um primeiro momento você chega a pensar que seria uma espécie de CN Tower em tamanho menor. E de certa forma não deixa de ser. A torre possui cerca de 236 metros de altura, equipada com elevadores panorâmicos na parte externa. Os turistas são recebidos na parte superior por um restaurante giratório, onde é possível ter uma visão de toda a região, assim como do lado americano, e alguns chegam a comentar que é possível até mesmo ver Toronto.

Imagem da Skylon Tower

Abaixo seguem algumas produções em vídeo registradas durante o passeio:

Niagara Falls (City) – Canadá

 

Niagara Falls (City) – Canadá – II

 

Niagara Falls (Chegando na Cidade) – Canadá

 

Niagara Falls (Viagem | Unbelievable Place) – Canadá

 

 Niagara Falls (Andando pelo lugar) – Canadá

 

 Niagara Falls (Cataratas em um Barril) – Canadá

 

 Niagara Falls (Let´s Go) – Canadá

Apesar do passeio já ter ocorrido a algumas semanas atrás, como o materal existe, não tem porque deixar de compartilhar, certo?

Fonte: Revista Turismo (informações e dados históricos)

Um biscoito de Taiwan

Uma das melhores experiências que fazer um intercâmbio no exterior pode trazer é a diversidade cultural. Não falo somente dos costumes e hábitos pelos quais é necessário a adaptação no momento da chegada em um país desconhecido, mas o fato de socializar com pessoas de diversas partes do mundo, principalmente na escola. Afinal, assim como eles tem curiosidade por saber como é a vida no seu país, aos poucos você também vai desenvolvendo a sede por tentar ao menos entender parte dos costumes alheios, saber como é a vida no país deles, e acima de tudo, qual é a opinião que eles expressam sobre a própria nação.

Desde que cheguei aqui, o almoço deixou de ser a principal refeição do meu dia. Pois, por volta das 8:30 da manhã, antes de sair pra escola, todos os dias tenho um café bastante reforçado; ovos mexidos, torradas e afins. Portanto, acabo muitas vezes não sentindo aquela fome extrema ao meio-dia, comendo apenas uma salada ou mesmo alguns biscoitos e salgados, até porque, eu sei que quando chegar na homestay a noite, geralmente temos um jantar completo; pratos clássicos como arroz, bife e feijão. Deve estar aí a resposta por ainda não ter sentido falta da tal “comida brasileira” pela qual tantos brasileiros suplicam por aqui.

Nos dias que carrego junto bolachas, antes do fim da última aula, por volta das 12 horas, pego uma ou duas bolachinhas pra ir comendo, oferecendo para os colegas também.

Na última semana segui a rotina descrita, oferecendo também pra uma menina de Taiwan. Ela olhou e comentou “Oh, cookie? [Ah, bolacha?]”, afirmei que eram bolachas e ela aceitou uma, agradecendo em seguida. No dia seguinte, mais uma vez a rotina entra em ação, ofereci pra todos, inclusive pra minha amiga taiwanesa e no momento que ela agradeceu disse “It´s for you! [Isso é pra você]” colocando na minha mão um pacotinho. Agradeci e quando fui ver era um biscoito.

Perguntei se ela havia trazido do país dela e afirmando ela respondeu “Oh, it´s from Taiwan! [Isso é de Taiwan!]”.

Boa parte do pessoal aqui troca moedas, provavelmente gostam de colecionar e alimentar seu acervo com peças de vários países do mundo. Além de já ter trocado algumas também, trocar biscoitos agora está na minha lista.

O inverno está chegando em Toronto

O tempo passa realmente rápido. Já fazem mais de dois meses que cheguei aqui em Toronto no Canadá. Meus primeiros dias aqui foram decorridos do início de agosto, e por sinal, ainda era verão. Basicamente durante o mês de agosto inteiro fez calor. Não aquele calor de quase 40 graus que estamos habituados aí no Brasil, mas as máximas chegavam aos 30 graus e não mais que isso. Grande parte dos dias foi bastante agradável.

No início de setembro ainda, tivemos alguns dias mais “quentes”, porém, na segunda quinzena do mês já foi possível presenciar cerca de 7 graus por volta das 19:00 horas enquanto caminhava pra chegar na homestay. E desde então, o frio não tem permitido que os torontonianos deixem seus casacos no armário antes de sair de casa.

O vento frio que sopra durante as caminhadas entre as estações de metro, pontos de ônibus, escola e homestay acabou fazendo com que na última semana eu comprasse algumas roupas extras para enfrentar a estação que está chegando. Basicamente comprei camisas com manga longa, um casaco e uma manta.

Acredito que ontem (12/10/12) foi o dia mais frio que já presenciei, pois estava previsto a mínima ficar em torno de 1 grau e a máxima não deveria passar dos 7 graus. E foi realmente o que aconteceu.

8:30 – caminhando para o ponto de ônibus

Por volta das 14 horas as temperaturas chegaram no seu auge, marcando 8 graus. E a noite, mais uma vez decaindo:

Bom, tenho em mente que a tendência agora é ficar cada vez mais frio, intensificando a frequência das baixas temperaturas. O negócio é usar o máximo de agasalhos possível, pois ninguém merece passar frio.

Comércio de Filmes que a Mãe não pode ver

É cada coisa bizarra que a gente acaba encontrando pelas ruas aqui em Toronto que as vezes fica até difícil de acreditar:

Pois é! O Comércio de Filmes que a mãe não pode ver (cof, cof) “corre” solto por aqui. E o pior é que essa não é a única filial da cidade, pelo menos já vi mais umas três ou quartro.

Onde será que é a matriz?

Desconto para Estudantes no TTC em Toronto

Provavelmente os amigos devem lembrar dos comentários que já deixei por aqui relacionados ao TTC (Toronto Transit Commisssion), a empresa local que oferece o transporte público aqui em Toronto no Canadá.

Por mais que muitas vezes o serviço deixa a desejar, principalmente pelo preço cobrado, o qual não é considerado barato, é a única opção de transporte público usada por milhares de pessoas todos os dias.

Existem várias opções referente a forma de pagamento no momento de embarque no transporte, as principais são dinheiro (moedas), tokens e os cartões (passes), nessa última categoria, podendo ser adquiridos semanalmente ou mensalmente. Antes do embarque, a escolha e consequente compra dessas modalidades devem ser realizadas nos pontos de atendimento, localizados principalmente nas estações de metro. Analisando essas alternativas, na maioria dos casos quando os usuários utilizam o transporte todos os dias, a melhor entre todas acaba sendo os passes. Dependendo da necessidade, o semanal pode ser mais rentável, custando cerca de $ 37,50 dólares (CAD). Caso seja necessário utilizar o transporte durante o mês inteiro, vale considerar o passe mensal como melhor opção, custando $ 126 dólares (CAD). Tanto o passe semanal quanto o mensal podem ser usados de forma ilimitada no período estipulado, garantido a compatibilidade em qualquer ônibus, linha de metrô ou street car dentro de Toronto.

Considerando que os preços cobrados são exorbitantes, principalmente para estudantes locais ou estrangeiros, como no meu caso,  existe um cartão de descontos para o TTC (exclusivo para estudantes) que pode ser aderido pelo usuário diante da apresentação de um comprovante de matrícula em uma instituição local de ensino. Dessa forma, na última semana providenciei a adesão desse cartão, conforme segue na imagem acima. O processo foi relativamente fácil, os interessados devem chegar na estação de metro Sherbourne na linha Bloor-Danforth (verde) e procurar o guichê autorizado para realizar o cadastro e a impressão do cartão. Diante da comprovação de matrícula e o pagamento de uma taxa de $ 5.25 dólares (CAD) o cartão fica pronto na hora.

Os estudantes que possuem esse cartão, tem direito ao desconto de $ 22 dólares (CAD) na compra dos passes mensais, o que já traz uma certa diferença no orçamento mensal. Essa solução é recomendada para estudantes que vão passar mais de um mês em Toronto, até porque, não é válido para a compra dos passes semanais e a validade desse cartão de descontos é cerca de um ano, desde o momento do cadastro.

Entre uma e outra atividade

As vezes a gente acaba pegando umas manias esquisitas. Nos últimos dias comecei a desenhar nas páginas de exercícios entre uma atividade e outra durante o período de aulas na escola. Não sei qual o motivo, mas provavelmente está relacionado ao meu antigo desejo pelo êxito em algum eventual rabisco que eu faça no papel:

O pessoal conhecido sabe que a minha grafia não é das melhores e muitas vezes nem eu mesmo consigo entender o que escrevo. Como eu costumo dizer, o negócio é extremamente criptografado. Tanto que na última semana, durante a aula de Read and Write, escrevemos um texto e em seguida a professora solicitou para trocar as obras com os colegas, cada um lendo a produção do outro. Acabei trocando o meu com uma coreana, pobre menina! Quando percebi que ela estava com dificuldades pra ler, cheguei mais perto dela e perguntei se ela precisava de ajuda, então ela comentou: “Sorry! I can´t understand anything but your cartoon is so cute! [Desculpa! Eu não consegui entender nada, mas teu desenho e tão bonitinho!]“.

Bom, ao menos um elogio eu recebi!

Busca